SAIBA MAIS SOBRE O CACAU E SEUS BENEFICIOS


CACAU

O chocolate consiste em uma série de produtos crus e processados derivados da semente dervore do cacau. A palavra “ Theobroma” vem do grego e significa “alimentos dos deuses”. Em 1520 o chocolate, misturado com baunilha e açúcar, foi introduzido na Europa pelos exploradores espanhóis.

A quantidade de gorduras das sementes é de 40-50%, enquanto que os polifenóis compõem aproximadamente 10% do peso seco do grão. O chocolate também é fonte de minerais, como o potássio, zinco, selênio e magnésio, juntamente com vitamina E, gordura saturada (60%), monoinsaturada (35%) e ácido linoleico (3%). A quantidade de magnésio do chocolate e do cacau é extremamente alta (100mg/100mg e 520mg/100g, respectivamente).

O cacau também é fonte de ácidos graxos. O ácido oleico e o ácido esteárico constituem cerca de 66% da composição da manteiga de cacau (33% de cada). Adicionalmente, o chocolate possuiuma proporção de gordura sob a forma de ácido palmítico.

O chocolate também contém componentes com ação farmacológica, como aminas biogênic Theobroma cacao. Ele é originário do México, onde os Maias, Incas e Astecas cultivavam a áas e metilxantinas. As principais aminas biogênicas presentes no chocolate são a tiramina e feniletilamina (PEA, do inglês, phenylethylamine). Dentre as metilxantinas, o chocolate é fonte de metilcantinas alcaloides, como a cafeína (1,3,7 – trimetilxantina) e teobromina (3,7 – dimentilxantina), ambas com ação estimulante.

– Flavonóides

– Efeitos benéficos dos compostos fenólicos

– Ação antioxidante

– Inibição da oxidação do LDL colesterol

– Efeitos anti-inflamatórios do cacau

– Proteção contra doenças cardiovasculares

– Inibição da agregação plaquetária

– Redução da pressão arterial

– Atividade neuroprotetora

O consumo de flavonoides pode estar associado a um menor risco de demência, menor prevalência de declínio cognitivo e melhor performance cognitiva em indivíduos idosos.

Recomendações de consumo

Todos os efeitos benéficos discutidos neste capítulo são resultantes dos compostos bioativos presentes no cacau, sendo o chocolate um alimento que contém cacau em sua composição. Mas é importante ressaltar que o conteúdo de cacau nos diferentes tipos de chocolate varia consideravelmente, assim como também varia a concentração de polifenóis presentes em diferentes tipos de cacau. O paladar brasileiro está mais acostumado com um produto adocicado, com alto teor de leite, açúcar e gorduras hidrogenadas. Crianças e adultos brasileiros têm preferência pelo chocolate ao leite, cujo teor de cacau é de apenas 25 a 35%.

O consumo de altas quantidades de chocolate ao leite pode, potencialmente, trazer mais efeitos prejudiciais do que benéficos, tendo em vista a presença de outros macronutrientes, como a gordura saturada adicionada e o açúcar. Portanto, recomenda-se a opção de produtos contendo alta concentração de cacau (70% ou mais), o cacau em pó ou os nibs de cacau.

Por que o chocolate vicia?

 

Ao sucumbir ao primeiro pedaço, inicia-se um grande dilema.

Não consigo parar no primeiro pedacinho, e depois que como em um dia, sinto falta no dia seguinte. ”   Esta reação em cadeia provocada pelo chocolate pode ser explicada por uma série de substâncias químicas presentes no chocolate.

A teobromina é uma xantina ativadora do sistema nervoso central que estimula nossas atividades cerebrais, causando dependência química.

Outra substância encontrada é a feniletilamina, que é bastante similar a uma substância produzida por nossos neurotransmissores e que dá sensação de bem estar, é a mesma liberada pela atividade física. Mas o aminoácido triptofano, presente em grande quantidade no chocolate, é precursor do neurotrasmissor serotonina, que dá sensação de prazer e relaxamento. E como este alimento ainda oferece alto teor de carboidratos, facilita o transporte de triptofano no receptor para produzir serotonina.
Estudos mostram que o cacau é um alimento funcional pelo alto teor de flavonoides, com ação antioxidante, antinflamatória e termogênica. Porém estes benefícios se tornam mais disponíveis nas versões de chocolate com maior teor de cacau, com menos açúcar e sem leite na composição.

Por todos estes motivos e por seu sabor inigualável o chocolate estabelece conosco uma relação bastante amorosa.

Para algumas pessoas, o chocolate não chega a representar um grande problema. Conseguem conviver bem com ele. Aproveitam, deliciam-se, mas não se deixam contaminar. Um, dois ou até três pedaços são suficientes para que a pessoa se sinta agraciada e consiga voltar a seu ritmo de alimentação. Porém, algumas pessoas que são mais sensíveis ou estão vivendo um momento de estresse acabam buscando no chocolate a parceria para seus momentos de fragilidade.

As versões de chocolate mais tradicionais no mercado são compostos de uma quantidade pequena  de cacau (10 a 15%) muito açúcar, leite e gordura vegetal, o que pode desencadear inúmeras consequências para quem exagera na dose. Diabetes, obesidade, hipertensão, enxaquecas, acne, pele oleosa …  O leite contem caseína, uma proteina que se liga nos flavonoides do cacau, tornando-os menos disponíveis para as células.

Para os apaixonados por chocolate, sugiro incluir na dieta alimentar uma porção de chocolate com mais de 50% de cacau (sem leite e com menos açúcar), que irá disponibilizar os fatores protetores e os que desencadeiam prazer e relaxamento. Com boas escolhas é possivel aliar o saudável ao prazer

 

 

SEMENTE DE ABÓBORA

AMO SEMENTES, pois representam o potencial nutricional para a formação de uma planta. As sementes de ABÓBORA são as minhas preferidas, pelo seu sabor, por seu potencial nutricional e por sua versatilidade.
A semente de abóbora é obtida a partir do fruto abóbora. As sementes contêm uma substância denominada de cucurbitacina a qual possui grande propriedade antiinflamatória seja para a próstata ou para o sistema urinário, além de ser um ótimo vermífugo. O aumento na utilização da semente de abóbora na culinária tem sido atribuído a sua excelente qualidade nutricional.

A semente é rica em proteínas (39g/100g) fibras (27g/100g) ferro (10g/100g) além de cálcio, zinco, vitaminas do complexo B, vitamina E e gorduras poliinsaturadas

As sementes de abóbora são fáceis de preparar: tire-as, lave-as e deixe-as secar, depois leve ao quente, mas desligado, para que fiquem bem secas. Assim que esfriarem podem ser congeladas, uma dica é ir guardando em um vidro no freezer até que tenha uma quantidade razoável para triturar. Hoje as lojas especializadas já oferecem a semente de abóbora descascada, o que é mais prático.

Assim que estiverem trituradas  (em liquidificador), peneiradas e utilizadas no preparo de saladas, farofa, mingau, bolo, biscoitos… As variedades comerciais são, em geral, muito salgadas devendo ser evitadas para os indivíduos hipertensos.

COMO CONSUMIR:

– polvilhar sobre a salada, pois ela aumenta o teor protéico desta e confere uma crocância

– acrescentar no arroz integral após o preparo

– misturar com legumes refogados

– comer com sopas cremosas

– acrescentar na receita de pães e bolos para aumentar o teor proteico destas preparações

 

Desfrute dos beneficios dos alimentos roxos

Osroxos 1 vegetais e frutas roxos tem recebido destaque graças a descobertas evidenciando as propriedades nutricionais dos pigmentos que lhe conferem a cor. Este pigmentos, pertencentes ao grupo dos flavonóides responsáveis por uma grande variedade de cores  que vão do vermelho vivo, roxo e azul, são chamados antocianidinas, que exercem  diversas funções bioquímicas em nosso corpo proporcionando prevenção a doenças como câncer, diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares.

A função destes pigmentos nas plantas é proteger contra a luz ultravioleta e de possíveis invasores, prevenindo agressões e aumentando a vida da planta. Desta forma, ao comer estes alimentos, podemos usufruir da ação destes pigmentos prevenindo danos às nossas células e tecidos. Além de prevenção estas substâncias chamadas antioxidantes evitam que os radicais livres agridam nossas células oferecendo melhor aparência aos cabelos, pele, unhas, bem como disposição e vitalidade.

Radicais livres são as substâncias responsáveis pelo envelhecimento e pelo desgaste de nossas células. A proteção de nosso corpo a estas substâncias vem da alimentação, sendo estruturas presente nos vegetais e frutas chamadas fitoquímicos, os mais importantes no combate aos radicais livres.

Nos últimos anos, o interesse por esses pigmentos se intensificou uma vez que pesquisas têm demonstrado que as antocianidinas são compostos bioativos e que, entre os vários outros efeitos fisiológicos, possuem capacidade antioxidante e propriedade antiinflamatória, promovem vaso-dilatação, atuam na prevenção da hiperglicemia, estimulam a secreção de insulina, melhoram a adaptação da visão noturna e previnem a fadiga visual.   Recentemente pesquisadores constataram o efeito inibitório destes pigmentos na proliferação de células humanas cancerígenas, originadas em diferentes partes do corpo: estômago, cólon, mama, pulmão e sistema nervoso central.

Podemos encontrar as antocianidinas nos vegetais roxos como a cebola roxa, repolho roxo, berinjela e nas frutas como açaí, uva, ameixa, mirtilo, cereja, jabuticaba, pitanga.

Para aproveitar melhor estes alimentos o ideal é consumi-los na safra, frescos ou congelados na forma de polpa. O preparo é bastante variado, podendo ser usado ao natural, no preparo de sucos, misturado a outros vegetais em saladas.

As antocianidinas perdem muito de seu efeito na presença de luz e calor, devendo ser consumidos crus e logo após o pr
eparo. O congelamento parece não afetar sua ação.roxos 2

Por que a Nutrição Clínica Funcional é uma Especialidade

Estou formada desde 1987 e minha trajetória profissional foi bastante rica e diversificada, iniciei na área de alimentação coletiva em empresas, tive uma empresa de alimentos congelados, trabalhei junto a uma empresa que atua na área de emagrecimento através de palestras. Aos poucos minha atividade foi sendo direcionada para a prática clínica. Pessoalmente não sou acomodada e não poderia ser diferente na vida profissional, sempre me incomodava a idéia de que o tratamento do paciente que me procurava, e na maioria das vezes, para emagrecer, era simplesmente uma dieta hipocalórica equilibrada e que meu trabalho era de educação nutricional.

Read More

O que é nutrição funcional?

A NUTRIÇÃO FUNCIONAL utiliza a ciência dos nutrientes para manter ou restabelecer o equilíbrio e o bem estar do organismo de cada pessoa.  A este equilíbrio – físico, mental e espiritual chamamos VITALIDADE POSITIVA. Hábitos do nosso dia a dia como má qualidade da alimentação, o estresse diário, exposição a substâncias químicas, as alterações emocionais, a qualidade do ar que respiramos, geram desequilíbrios.

Read More
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial