A BATATA QUE REDUZ A GLICEMIA

Na aparência lembra uma batata-doce. Mas o gosto e a consistência remetem mais a uma pera madura.
Estranho, não? Trata-se da yacón, um alimento usado pelos japoneses que pode modificar significativamente as formas de controle do diabetes. 

Qual a diferença da batata Yacon para a batata comum?
A batata Yacon é uma planta herbácea originada nos Andes, e cultivada na Colômbia, Equador e Peru, em altas altitudes.
O tubérculo tem sabor de pera e melão. Essa batata, ao contrário dos outros tubérculos, contém grande quantidade de uma fibra chamada INULINA. Tem alto poder adoçante e baixo teor calórico, sendo fermentada pelas bactérias benéficas da flora intestinal ao chegar ao cólon. A batata Yacon não aumenta a glicemia ou nível sérico de insulina, sendo, portanto, indicada para os diabéticos. Suas folhas são usadas como forma adjuvante de tratamento, sob forma de chá, a fim de reduzir a glicemia click here e o colesterol.

O papel da inulina na saúde

  1. O amido e a inulina são carboidratos complexos formados por átomos de carbono, hidrogênio e oxigênio. A diferença é que a inulina é composta na sua maioria por unidades de frutose (carboidrato simples) com uma de glicose terminal, sendo a ligação entre as moléculas de frutose, uma molécula de sacarose associada a n moléculas de frutose.
  2. A inulina tem valor calórico reduzido: 1 Kcal/g enquanto que do amido é de 4 Kcal/g). Isso se deve ao fato que as ligações entre as moléculas de frutose não são digeríveis no trato gastrintestinal e, por isso, chegam quase íntegras ao intestino grosso.
  3. A inulina ao chegar no intestino grosso é fermentada pela microflora: produzindo gases; ácidos graxos voláteis ou são excretadas. Por isso ela não aumenta a glicemia. Os ácidos graxos voláteis podem ser absorvidos e ao chegar no fígado reduz a síntese de colesterol.
Composição em 100 g de Yacon
Energía cal 54,0
proteina g 0,3
gordura g 0,3
carboidrato g 12,5
Fibra g 0,5
Calcio mg 23,0
Fósforo mg 21,0
Vitamina C mg 13,1